Revista ESTANTE

10 poemas inesquecíveis de Sophia de Mello Breyner Andresen

BlogFNAC3
Por BlogFNAC3
Em 06/11/2019
52
10 poemas inesquecíveis de Sophia de Mello Breyner Andresen

Sophia de Mello Breyner Andresen celebraria este ano o centenário do seu nascimento. Razão mais do que suficiente para destacarmos alguns dos poemas que fizeram da autora uma das principais referências da literatura portuguesa.

 

Obra-Poetica-sophia-de-mello-breyner-andresen

 

Obra Poética

 

Poesia-sophia-de-mello-breyner-andresen

Poesia

(1944)

 

 Dia-do-Mar-sophia-de-mello-breyner-andresen

Dia do Mar

(1947)

 

 Coral-sophia-de-mello-breyner-andresen

Coral

(1950)

 

 No-Tempo-Dividido-sophia-de-mello-breyner-andresen

No Tempo Dividido

(1954)

 

 Mar-Novo-sophia-de-mello-breyner-andresen

Mar Novo

(1958)

 

O-Cristo-Cigano-sophia-de-mello-breyner-andresenO Cristo Cigano

(1961)

 

Livro-Sexto-sophia-de-mello-breyner-andresen

Livro Sexto

(1962)

 

Geografia-sophia-de-mello-breyner-andresen

Geografia

(1967)

 

 Dual-sophia-de-mello-breyner-andresen

Dual

(1972)

 

 O-Nome-das-Coisas-sophia-de-mello-breyner-andresen

O Nome das Coisas

(1977)

 

 Navegacoes-sophia-de-mello-breyner-andresen

Navegações

(1983)

 

Ilhas-sophia-de-mello-breyner-andresenIlhas

(1989)

 

Musa-O-Buzio-de-Cos-e-Outros-Poemas-sophia-de-mello-breyner-andresen

Musa + O Búzio de Cós e Outros Poemas

(1994 + 1997)

 

Primeiro-Livro-de-Poesia-sophia-de-mello-breyner-andresen

Primeiro Livro de Poesia

 

 

MAR


Mar, metade da minha alma é feita de maresia
Pois é pela mesma inquietação e nostalgia,
Que há no vasto clamor da maré cheia,
Que nunca nenhum bem me satisfez.
E é porque as tuas ondas desfeitas pela areia
Mais fortes se levantam outra vez,
Que após cada queda caminho para a vida,
Por uma nova ilusão entontecida.

E se vou dizendo aos astros o meu mal
É porque também tu revoltado e teatral
Fazes soar a tua dor pelas alturas.
E se antes de tudo odeio e fujo
O que é impuro, profano e sujo,
É só porque as tuas ondas são puras.


É um poema especial porque…

O foco reside num dos principais interesses de Sophia de Mello Breyner Andresen, explorado em grande parte dos seus poemas: o mar e, num conceito ainda mais amplo, a natureza como referência de beleza e perfeição.

 

INSCRIÇÃO

 

Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto do mar


É um poema especial porque…

Envolve, uma vez mais, o fascínio pelo mar mas também fatalismo, nostalgia, arrependimento e a certeza de que a natureza é a resposta para todas as nossas questões. Tudo em apenas duas linhas.

 

ESTE É O TEMPO

 

Este é o tempo
Da selva mais obscura

Até o ar azul se tornou grades
E a luz do sol se tornou impura

Esta é a noite
Densa de chacais
Pesada de amargura

Este é o tempo em que os homens renunciam.

 

É um poema especial porque…

A liberdade (física e/ou espiritual) é outro dos motivos mais frequentes na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, e a autora aborda-a aqui de forma implícita através de um contraste bem conseguido com prisões e prisioneiros.

 

AS PESSOAS SENSÍVEIS

 

As pessoas sensíveis não são capazes
De matar galinhas
Porém são capazes
De comer galinhas

O dinheiro cheira a pobre e cheira
À roupa do seu corpo
Aquela roupa
Que depois da chuva secou sobre o corpo
Porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
A roupa
Que depois do suor não foi lavada
Porque não tinham outra

“Ganharás o pão com o suor do teu rosto”
Assim nos foi imposto
E não:
“Com o suor dos outros ganharás o pão”.

Ó vendilhões do templo
Ó construtores
Das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito

Perdoai-lhes Senhor
Porque eles sabem o que fazem.

 

É um poema especial porque…

Na sua obra poética, Sophia de Mello Breyner Andresen preocupa-se mais em exultar o belo do que em evidenciar os males da sociedade. Mas há exceções. Como este poema, no qual critica abertamente a ganância e a hipocrisia de alguns.

 

PORQUE

 

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

 

É um poema especial porque…

Mascarado de poema romântico, é na verdade – ou também – mais uma denúncia bem vincada à corrupção, ao oportunismo e à falsidade.

 

25 DE ABRIL

 

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

 

É um poema especial porque…

É um comentário em poucas palavras mas que diz muito sobre um dos mais importantes eventos da História de Portugal.

 

FERNANDO PESSOA

 

Teu canto justo que desdenha as sombras
Limpo de vida viúvo de pessoa
Teu corajoso ousar não ser ninguém
Tua navegação com bússola e sem astros
No mar indefinido
Teu exato conhecimento impossessivo.

Criaram teu poema arquitetura
E és semelhante a um deus de quatro rostos
E és semelhante a um deus de muitos nomes
Cariátide de ausência isento de destinos
Invocando a presença já perdida
E dizendo sobre a fuga dos caminhos
Que foste como as ervas não colhidas.

 

É um poema especial porque…

É exemplo de vários tributos e homenagens que Sophia de Mello Breyner Andresen fez a outros grandes nomes da poesia portuguesa, como Fernando Pessoa (ler também “Homenagem a Ricardo Reis” e “Cíclades”) ou Luís Vaz de Camões (ler “Soneto à maneira de Camões”, mas também “Camões e a tença” e “Gruta de Camões”).

 

INVENTEI A DANÇA PARA ME DISFARÇAR

 

Inventei a dança para me disfarçar.
Ébria de solidão eu quis viver.
E cobri de gestos a nudez da minha alma
Porque eu era semelhante às paisagens esperando
E ninguém me podia entender.

 

É um poema especial porque…

Revela outro dos interesses pessoais de Sophia de Mello Breyner Andresen: a dança. É um facto menos conhecido sobre a autora, mas Sophia considerava a dança “um elemento dionisíaco ligado ao ritmo e à despersonalização” e entretinha-se muitas vezes a imaginar bailados e a inventar danças.

 

AUSÊNCIA

 

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

 

É um poema especial porque…

Tem uma simplicidade enternecedora.

 

POEMA


A minha vida é o mar o abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita

Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará

Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento

A terra o sol o vento o mar
São a minha biografia e são meu rosto

Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas
Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento

E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada

 

É um poema especial porque…

É quase um corolário da vida e obra de Sophia de Mello Breyner Andresen que, vários anos após a morte, mantém de facto a terra, o sol, o vento e o mar como sua biografia.

A tua nota : Je détesteJe n'aime pasCa vaJ'aimeJ'adore
8 relacionados
Poesia

Poesia

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | setembro de 2013 a partir de :10,98 €
Dia do Mar

Dia do Mar

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | fevereiro de 2014 a partir de :11,97 €
Coral

Coral

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | a partir de :11,97 €
O Cristo Cigano

O Cristo Cigano

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | fevereiro de 2014 a partir de :9,90 €
Geografia

Geografia

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | setembro de 2014 a partir de :11,97 €
O Nome das Coisas

O Nome das Coisas

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | setembro de 2015 a partir de :11,97 €
Ilhas

Ilhas

Sophia de Mello Breyner Andresen Ver todo o seu universo Edição | Assírio & Alvim | setembro de 2016 a partir de :10,98 €