A Felicidade Paradoxal

Gilles Lipovetsky (Autor) Ensaio sobre a Sociedade do Hiperconsumo Edição em Português
    A Felicidade Paradoxal_0
    A Felicidade Paradoxal
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Editor Edições 70
      Coleção Extra Colecção

      Ver todas as características

    • Numa sociedade em que a melhoria contínua das condições de vida materiais praticamente ascendeu ao estatuto de religião, viver melhor tornou-se uma paixão colectiva, o objectivo supremo das sociedades democráticas, um ideal nunca por demais exaltado. Entrámos assim numa nova fase do capitalismo: a sociedade do hiperconsumo. Eis que nasce um terceiro tipo de Homo consumericus, voraz, móvel, flexível, liberto da antiga culturas de classe, imprevisível nos seus gostos e nas suas compras e sedento de experiências emocionais e... Ver mais

    • Vendido pela Fnac  22,41 €
    • 1 novo desde 162,04 €  
    • 162,04 €

      Disponível

      Envio com Tracking : 14,99 €

      Envio Contra Assinatura : 37,99 €

      CulturaBrasil
      (Vendedor profissional)
      2225 venda(s)
      Estado do produto
      Novo
      País de expedição
      Brasil
      Taxa de aceitação
      98,26%

      Comentários do vendedor :

      Enviado do brasil em 10 - 25 dias uteis (geralmente 10 - 15) - envio normal.Para envio expresso ( 7 - 10 dias) - favor entrar en contato.

      Todas as ofertas
      • 162,04 € Custos de envio +14,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        CulturaBrasil
        (2225)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Descrição A Felicidade Paradoxal

    Numa sociedade em que a melhoria contínua das condições de vida materiais praticamente ascendeu ao estatuto de religião, viver melhor tornou-se uma paixão colectiva, o objectivo supremo das sociedades democráticas, um ideal nunca por demais exaltado. Entrámos assim numa nova fase do capitalismo: a sociedade do hiperconsumo.

    Eis que nasce um terceiro tipo de Homo consumericus, voraz, móvel, flexível, liberto da antiga culturas de classe, imprevisível nos seus gostos e nas suas compras e sedento de experiências emocionais e de (mais) bem-estar, de marcas, de autenticidade, de imediatidade, de comunicação.

    Tudo se passa como se, doravante, o consumo funcionasse como um império sem tempos mortos cujos contornos são infinitos. Mas estes prazeres privados originam uma felicidade paradoxal: nunca o indivíduo contemporâneo atingiu um tal grau de abandono.

     

    Características detalhadasA Felicidade Paradoxal

    OUTRAS OBRAS de Gilles Lipovetsky

    Ver também