Ana Vieira

Liliana Coutinho (Autor) Edição em Português
    Ana Vieira_0
    Ana Vieira
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Editor Editorial Caminho
    • Ana Vieira diz que não percebia o que era a pintura: que esta não lhe podia servir nem de veículo nem de meio de expressão porque não sabia lidar com ela. Este desconforto de alguém que terminou o curso de Pintura da Escola de Belas-Artes de Lisboa no ano de 1964 pode fazer-nos pensar, como já aconteceu na recepção crítica do seu trabalho, que se trata de um percurso que se iniciou a partir de uma reacção àquela disciplina, originária talvez num determinado tipo de formação académica recebida. No entanto, mais correcto será... Ver mais

    • Vendido pela FNAC  2,70 €
    • 1 novo em Marketplace desde 3 €  
    • Todas as ofertas
      • 3 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Gomes Books
        (12316)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • Levantamento
      gratuito em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Devoluções
      gratuitas em loja

    Resumo

    Ana Vieira diz que não percebia o que era a pintura: que esta não lhe podia servir nem de veículo nem de meio de expressão porque não sabia lidar com ela. Este desconforto de alguém que terminou o curso de Pintura da Escola de Belas-Artes de Lisboa no ano de 1964 pode fazer-nos pensar, como já aconteceu na recepção crítica do seu trabalho, que se trata de um percurso que se iniciou a partir de uma reacção àquela disciplina, originária talvez num determinado tipo de formação académica recebida. No entanto, mais correcto será referirmo-nos a uma revolta em relação aos modos e usos da pintura, como bem mencionou Maria Filomena Molder no catálogo da antologia dedicado a esta artista, a qual teve lugar na Casa de Serralves em 1999. É então necessário que nos lembremos que a palavra revolta, para além de um movimento de insubmissão, contém também um movimento de retorno, de memória, e por isso também de possibilidade, de conhecimento. Na situação que nos interessa, do conhecimento, não do modo concreto de como a pintura tinha existido até ali, mas das potencialidades que a própria pintura, como prática representativa, desenvolveu ao longo da sua história e que estavam ainda por ser activadas.

    Opiniões dos nossos clientes Ana Vieira

    Sê o primeiro a dar
    a tua opinião sobre este produto

    Dar opinião ✔ A tua opinião foi gravada

    Características detalhadas

    EAN

    978-9722118927

    ISBN

    9789722118927

    Dimensões

    20 x 23,5 cm

    Nº Páginas

    72

    Encadernação

    Capa mole