Camané

O primeiro contacto de Camané com o fado ocorreu um pouco por acaso, quando durante a recuperação de uma maleita infantil se embrenhou na colecção de discos dos pais e descobriu os grandes nomes do fado: Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro, Carlos...
Ler Biografia
Camané

O primeiro contacto de Camané com o fado ocorreu um pouco por acaso, quando durante a recuperação de uma maleita infantil se embrenhou na colecção de discos dos pais e descobriu os grandes nomes do fado: Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro, Carlos do Carmo...

Em 1979 ganhou uma importante gala de Fado em Portugal para jovens fadistas - "Grande Noite do Fado". A edição de "Uma Noite de Fados", o 1º trabalho discográfico, elogiada pela critica especializada, elegeu Camané como a voz mais representativa da nova geração do fado, possibilitando o reconhecimento da qualidade do seu trabalho pelo grande público. Realizou desde essa altura inúmeras apresentações em Portugal e no estrangeiro, actuando em França, Holanda, Itália e Espanha.

O início de 1998 foi marcado pela edição do novo trabalho - "Na Linha da Vida" que mereceu atenção especial por parte dos media, confirmando as expectativas que "Uma Noite de Fados" provocara, e consagrando em definitivo Camané como uma das vozes mais impressionantes do fado. Durante o ano de 1998 Camané realizou inúmeros espectáculos em Portugal - destacando-se as apresentações na Expo 98 - participou no espectáculo "De Sol a Lua - Flamenco e Fado", e ainda em alguns festivais de música na Europa, como o Festival "Tombées de La Nuit", em Rennes e o Festival "Les Méditerranées à l'Européen" em Paris.

Em Outubro, aquando da edição de "Na Linha da Vida" pela EMI holandesa e belga, realizou uma digressão por algumas localidades desses países. Em 99, este trabalho foi publicado pela EMI da Coreia marcando assim a primeira abordagem ao mercado oriental. Em 2000, novo passo na carreira de Camané: a edição em simultâneo na Bélgica, Holanda e Portugal do terceiro trabalho discográfico - "Esta Coisa da Alma", o que proporcionou uma tournée por algumas das mais importantes salas destes países, destacando-se o Concertgebouw de Amesterdão, seguindo-se concertos em Espanha, Suíça, Alemanha e França.

Em Portugal, o ponto mais alto da tournée foi o espectáculo realizado em Outubro, no Centro Cultural de Belém e a conquista de disco de prata pelos 10 mil exemplares vendidos. Já no final de 2001 sai o seu quarto CD "Pelo Dia Dentro" que alcançou, apenas três semanas depois do seu lançamento, o disco de prata. Muitas foram as localidades ao longo de 2002 que fizeram parte desta tournée, incluindo uma vez mais, Holanda e Bélgica.

Ainda nos primeiros meses de 2003 foi publicada uma compilação integrada na colecção "The Art Of" do catálogo Hemisphere com a particularidade de incluir regravações de temas de "Uma Noite de Fados". Este ano foi também dedicado à realização de apresentações em Portugal e estrangeiro, bem como à edição do primeiro CD ao vivo - "Camané - Como Sempre... Como Dantes", com o galardão de "disco de ouro" que originou uma tournée nacional durante o ano de 2004. A propósito de um convite do Teatro São Luiz para uma série de espectáculos no Jardim de Inverno, Camané idealizou o projecto "Outras Canções" onde interpretou canções de grandes nomes da música portuguesa e brasileira, que constituem as suas referências nos diversos géneros musicais.

No final do ano, foi editado o Cd "Humanos", um projecto de Camané e outros músicos portugueses, em homenagem ao falecido cantor António Variações. Para além desse projecto, ao longo de 2005, Camané continuou a apresentar "Como Sempre...Como Dantes" por diversas localidades do país e estrangeiro. Ganhou o Prémio "Amália Rodrigues" na categoria de melhor intérprete de fado (Masculino).

Em Março de 2006,foi editado o primeiro dvd "Ao vivo no S. Luiz" com o registo dos concertos que Camané realizou no Teatro Municipal S. Luiz durante a tour "Como Sempre..." Dos concertos de apresentação em 2006 destaque para o convite do Instituto Camões para dois concertos durante a "Fiera Internazionale del Libro" em Turim e o espectáculo com grande êxito de público e imprensa na Huvila Tent, no âmbito do Helsinki Festival. No início de 2007, Camané concentrou energias na preparação e ensaios para a série de concertos "Outras canções II" que realizou no Teatro São Luiz, com a participação da Orquestra Sinfónica de Lisboa, interpretando temas de Sinatra, Brel, Jobim, entre outros.

Depois de um ano rico em concertos tanto em Portugal, como no estrangeiro, Camané editou, em Abril, o seu quinto disco de originais. "Sempre De Mim", tendo entrado directamente para o Nº 1 do Top Nacional de Vendas, atingido o galardão de Disco de Platina. Após o lançamento de "Sempre de mim", Camané iniciou uma digressão por todo o país, passando pelas míticas salas dos Coliseus de Lisboa e Porto, pela primeira vez em nome próprio. Do concerto em Lisboa resultou o segundo DVD ( CD) do fadista - "Camané ao Vivo no Coliseu - Sempre de Mim". Será também de destacar a participação na Womex 2008, em Sevilha, a maior feira de World Music do Mundo. Em 2009, a digressão "Sempre de mim" continuou pelos palcos fora em Portugal e no estrangeiro, fazendo parte os seguintes países: Argentina, Chile, Peru, Uruguai, França, Suiça, Bulgária, Polónia e Hungria. ... Para além da tour, realizou dois concertos especiais no Centro Cultural de Belém.

Em "Carta Branca a Camané", o fadista teve a seu lado Mário Laginha e a Orquestra Metropolitana de Lisboa e interpretou os seus fados de sempre com novos arranjos feitos pelo próprio Mário Laginha, José Mário Branco e também pelo maestro Cesário Costa.

Em Setembro de 2010, surge o sexto disco de originais de Camané - "Do Amor e dos Dias" - no mercado nacional, tendo Camané iniciado de imediato a tour pelo país passando pelo Centro Cultural de Belém, uma vez mais com sala esgotada! Em Fevereiro de 2011 Camané regressa ao São Luiz Teatro Municipal para apresentar uma série de quatro espectáculos cujo tronco principal se baseou no seu último trabalho, "Do Amor e dos Dias", complementados com a inclusão de temas distintos de noite para noite, do repertório poético do universo fadista sob a temática do amor e dos dias, revelando assim o conhecimento e o respeito que mantém pelos seus mestres. "Do Amor e dos Dias" recebeu também a distinção dos Prémios Amália na categoria "Melhor Álbum do Ano".

2011 foi também um ano de parcerias... Camané colaborou com os Dead Combo no disco "Lisboa Mulata" e com o Mestre Fernando Alvim no disco "Os fados e as canções do Alvim". É de destacar a participação na banda sonora do filme-documentário "José e Pilar", de Miguel Gonçalves Mendes, com o tema "Já Não Estar". Com letra de Manuela de Freitas e música de José Mário Branco, este tema esteve na pré-selecção para os Óscares de 2011. A tour "Do Amor e dos Dias" continuou na estrada visitando as principais salas do país e festividades locais, bem como algumas passagens pelo estrangeiro.