Daniel Goleman

“The emotional brain responds to an event more quickly than the thinking brain.”

Nascido a 7 de Março de 1946 em Stockton, Califórnia, Daniel Goleman é um psicólogo conhecido internacionalmente que dá frequentemente palestras a grupos...
Ler Biografia
Daniel Goleman

“The emotional brain responds to an event more quickly than the thinking brain.”



Nascido a 7 de Março de 1946 em Stockton, Califórnia, Daniel Goleman é um psicólogo conhecido internacionalmente que dá frequentemente palestras a grupos profissionais e em campus universitários. Como jornalista científico, Goleman escreveu sobre o cérebro e sobre ciências comportamentais para o The New York Times durante vários anos. O seu livro publicado em 1995, Inteligência Emocional esteve na lista de bestsellers do The New York Times durante ano e meio, com mais de 5 milhões de exemplares impressos por todo o mundo, em 40 línguas diferentes. Para além dos seus livros sobre inteligência emocional, Goleman escreveu livros sobre temas como a criatividade, a transparência, a meditação, a aprendizagem social e emocional e a crise ecológica.
A Harvard Business Review afirmou que a inteligência emocional— que afirma que o QI não é a única forma de medir as capacidades do indivíduo — é “uma ideia revolucionária, demolidora de paradigmas” e escolheu o seu artigo “What Makes a Leader” como um dos 10 “must-read”.
Goleman é o co-fundador do Collaborative for Academic, Social, and Emotional Learning e é actualmente um dos directores do Consortium for Research on Emotional Intelligence in Organizations na Universidade de Rutgers. O consórcio engloba parcerias de pesquisa entre professores académicos e especialistas sobre papel que a inteligência emocional tem na excelência.
Goleman é, também, membro da direcção do Mind & Life Institute e organizou uma série de diálogos intensos entre o Dalai Lama e diversos cientistas, que resultaram nos livros Healthy Emotions e Destructive Emotions.
O trabalho de Goleman como jornalista científico foi reconhecido com diversos prémios, incluindo o Washburn Award para jornalísmo científico e um Prémio de Carreira atribuído pela American Psychological Association.