Casulo

Márcia (Intérprete) (CD Álbum) Lançado a 13 maio 2013
    • Casulo_0
    Casulo

    Venda o seu Casulo com apenas alguns cliques,
    em fnac.pt

    1. Vende o teu produto
    2. Um cliente compra o teu produto
    3. Envia o teu produto
    4. Recebe o pagamento
    Passar para conta Pro!
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Interprete(s) Márcia
      Data de lançamento maio 2013

      Ver todas as características

    • Um “Casulo” e o mundo lá foraA Márcia chegou-me como costumam chegar as coisas boas. Pela mão dos amigos. Chegou-me pelo João Monge, que partilhou ‘A pele que há em mim’ no Facebook. E bastou-me ouvir uma vez para que ficasse de gigante nos meus ouvidos. Algum tempo depois, convidei-a para o “Bairro Alto”, na RTP2. Ela disse que sim, que aceitava, e combinámos um primeiro encontro num hotel perto do cinema King. Foi a 3 de Janeiro de 2012. Conversámos sobre o seu percurso, sobre música, sobre as vidas e pagámos um balúrdio... Ver mais

    • Vendido pela Fnac  
    • 6 novos desde 11,05 €  
    • Todas as ofertas
      • 11,45 € Custos de envio +0 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        DodaxEU-PT
        (9094)
      • 11,05 € Custos de envio +1,49 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Silver
        (7030)
      • 14,30 € Custos de envio +0 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Mecodu
        (22425)
      • 14,30 € Custos de envio +0 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Dodax AG
        (3161)
      • 19,54 € Custos de envio +1,49 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Silver
        (7030)
      • 21,93 € Custos de envio +3 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        uniqueplace
        (1517)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Descrição Casulo

    Um “Casulo” e o mundo lá fora

    A Márcia chegou-me como costumam chegar as coisas boas. Pela mão dos amigos. Chegou-me pelo João Monge, que partilhou ‘A pele que há em mim’ no Facebook. E bastou-me ouvir uma vez para que ficasse de gigante nos meus ouvidos.

    Algum tempo depois, convidei-a para o “Bairro Alto”, na RTP2. Ela disse que sim, que aceitava, e combinámos um primeiro encontro num hotel perto do cinema King. Foi a 3 de Janeiro de 2012. Conversámos sobre o seu percurso, sobre música, sobre as vidas e pagámos um balúrdio por dois cafés.

    A gravação do programa foi ainda nessa semana, no dia 6. E pela primeira vez estiveram mais do que duas pessoas naqueles sofás. Eu, a Márcia e a sua filha. Ainda dentro dela, é certo, mas já tão grande que era fácil perceber que faltava muito pouco para reclamar o seu direito ao mundo. Muito pouco para sair desse casulo amniótico onde aprendemos a amar as mães.

    “Casulo” é o nome deste disco, o primeiro que Márcia edita depois da maternidade. Antes tinha lançado dois. A estreia deu-se em 2009. Era um EP com cinco temas e chamava-se apenas “Márcia”. O segundo, “Dá”, saiu em 2010 e foi reeditado em 2011. Foi com essa reedição em mente que surgiu o desafio a JP Simões para estender a letra de ‘A pele que há em mim’ – que já estava gravado no EP – e fazerem uma gravação a dois. Contou-me a Márcia, durante a entrevista, que este tema foi escrito na Avenida de Roma, em Lisboa. Tinha ido ver uma exposição de artes plásticas ao Júlio de Matos e no caminho de regresso a casa, um percurso de mais ou menos 20 minutos, desenhou a melodia. Muitas vezes as canções também lhe saem nos transportes públicos ou na praia.

    Pouca coisa mudou por cá, desde a nossa primeira conversa naquele dia de Janeiro até agora que oiço este novo álbum. Continuamos às voltas com a austeridade, a tentar encolher o défice e a fazer olhinhos de aluno graxista aos mercados. Continuamos a tropeçar em passos pouco seguros, alguns deles até inconstitucionais. O último ano não foi fácil. A Europa anda avariada da cabeça, quase a cair da tripeça, e respira-se um ar de colapso do sistema. As pessoas vivem com medo e de olhos postos no chão. Talvez por isso Márcia se tenha refugiado na música, vendo nela um escudo protector, e tenha criado uma realidade alternativa com as canções deste disco. Em boa hora teceu este “Casulo”, onde nos podemos fechar e deixar o mundo aos gritos lá fora.

    Mas nessa realidade cabem ainda e sempre os amigos. Márcia gosta de fazer esse sublinhado. E os amigos, além de serem para as ocasiões, são também para a música. Daí que não seja de estranhar a voz de Samuel Úria no tema ‘Menina’. Os amigos também servem para dizer olá nos discos uns dos outros. Foi o que ele fez. Da mesma forma que, há mais tempo, a voz de Márcia também já tinha cumprimentado a de B Fachada em algumas canções; e que ela nos disse ‘Até ao Verão’, no tema que escreveu para o “Desfado” de Ana Moura.

    Márcia nasceu em Lisboa, a 19 de Fevereiro de 1982. Coincidências dos mercados, também nessa altura os tempos não iam famosos e o Fundo Monetário Internacional andava por cá. Foi precisamente nesse ano que José Mário Branco se revoltou com o “FMI”.

    Com a entrada na CEE a vida tornou-se mais fácil e foi durante a esperança demasiado ilusória da década de 90 que Márcia, aos 12 anos, começou a meter as mãos na música. Às escondidas, punha-se a tocar e a experimentar sons na guitarra de 12 cordas do irmão. Tocava baixinho para que não a ouvissem. Encostava o ouvido à madeira e os dramas da adolescência perdiam vigor. A ressonância da guitarra acalmava-a.

    Quando tinha 18 anos deu o passo seguinte. O namorado de uma amiga tinha uma banda que precisava de uma vocalista. Ela, na audição, cantou temas de Tracy Chapman e convenceu os restantes membros. Não tardou muito até que começasse também a compor, obrigando a que a banda fosse rebaptizada para Ana’s Blame. Nessa altura ainda escrevia e cantava em inglês.

    Apesar desta relação com a música, desde muito cedo que Márcia se refugiava nos desenhos que fazia. Alimentava o sonho de ser pintora e, na escolha da faculdade, optou por Belas-Artes. Mais tarde, nas voltas do curso, viu-se em Angers, em França, para um semestre no programa Erasmus. A distância revelou-se determinante no que estava para vir. Quando estamos longe de casa sentimos a falta do aconchego da língua e há emoções que só sabemos dizer em português. Márcia sentiu isso e o inglês deixou de ter lugar nos versos que ia rabiscando.

    Regressada de França e já com os estudos arrumados, rumou até Barcelona para um estágio em cinema documental. Ficara-lhe essa vontade desde que fizera um documentário sobre a sua irmã para uma cadeira na faculdade. Mas a metragem da aventura foi curta. Márcia desiludiu-se com o mundo das produtoras e a música agarrou-a de vez. Talvez não tivessem sido precisas tantas voltas. Afinal já era a ressonância da guitarra que lhe acalmava os tumultos da alma durante a adolescência. Mas às vezes é preciso saber esperar. Às vezes é preciso ir lá longe para conseguir ver melhor ao perto e preencher de vida o silêncio de uma canção que ainda não está escrita.

    A Márcia chegou-me como chegam as coisas boas. Pela mão dos amigos. E de gigante continua neste “Casulo”.

    José Fialho Gouveia

    Características detalhadasCasulo

    • Intérprete Márcia
    • Editor Parlophone
    • Data de lançamento maio 2013
    • Tipo CD
    • Ano de Edição Maio 2013
    • Número de Discos 1

    OUTRAS OBRAS de Márcia

    Faixas do álbum Casulo

    Márcia

    Casulo

    00:00 00:30
    Título Duração
    • 01 Decanto
    • 02 Sussurro
    • 03 Menina
    • 04 Delicado
    • 05 Camadas
    • 06 Oceano
    • 07 Hora Incerta
    • 08 Deixa-me Ir
    • 09 Brilha
    • 10 Paz da Noite
    • 11 Desmazelo
    • 12 Decanto Final

    Ver também

      Vais ser redirecionado para fora da fnac.pt

      Ao clicar em "download" vais ser redireccionado para o site kobo.com onde poderás fazer download do título selecionado utilizando os dados de acesso da tua conta Fnac. Caso não tenhas uma conta Fnac, terás de criar uma conta em Kobo.com para usufruíres de todas as funcionalidades e vantagens Kobo.

      Atenção Ocorreu um erro, por favor, tenta novamente mais tarde.