Meus Quintais - CD

    Meus Quintais - CD_0
    Meus Quintais - CD
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Interprete(s) Maria Bethânia
    • O CD traz um lado intimista e regional da cantora e registra, além de várias canções inéditas, pela 1ª vez a belíssima "Dindi" (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira). Neste trabalho, Bethânia também canta outros compositores recorrentes em seu repertório, como Roque Ferreira (autor de "Casa de Caboclo", "Candeeiro Velho", "Imbelezô Eu / Vento de Lá" e "Folia de Reis") e Chico César ("Xavante" e "Arco da Velha Índia"), e a bela edição de "Uma Iara" (Adriana Calcanhotto) com o texto "Uma Perigosa Yara" de Clarice Lispector, entre... Ver mais

    • Vendido pela FNAC  
    • 2 novos Marketplace desde 42,51 €  
    • 42,51 €

      Disponível

      Envio com Tracking : 2,99 €

      Envio Contra Assinatura : 4,49 €

      PHENIX SHOP
      (Vendedor profissional)
      216 venda(s)
      Estado do produto
      Novo
      País de expedição
      Espanha
      Taxa de aceitação
      95,63%

      Comentários do vendedor :

      Entrega dentro de 5 a 8 dias. Envios apenas para Portugal Continental

      Todas as ofertas
      • 42,51 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        PHENIX SHOP
        (216)
      • 44,51 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Bircat
        (3358)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • Levantamento
      gratuito em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    Opiniões dos nossos clientes Artigo
    -/5

    Sê o primeiro a dar
    a tua opinião sobre este produto

    Dar opinião ✔ A tua opinião foi gravada Todas as classificações
    Meus Quintais - CD
    • CD 1
    • 01 Alguma Voz (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro)
    • 02 Xavante (Chico César)
    • 03 Casa de Caboclo (Paulo Delfim e Roque Ferreira)
    • 04 Lua Bonita (Zé Martins e Zé do Norte)
    • 05 Candieiro Velho (Roque Ferreira e Paulo César Pinheiro)
    • 06 Imbelezô eu / Vento de lá (Roque Ferreira)
    • 07 Mãe Maria – Custódio Mesquita e David Nasser)
    • 08 Uma Yara / Uma perigosa Yara (Adriana Calcanhoto / Clarisse Lispector)
    • 09 Moda da Onça (Paulo Vanzolini)
    • 10 Povos do Brasil (Leandro Fregonesi)
    • 11 Arco da Velha Índia (Chico César)
    • 12 Folha de Reis (Roque Ferreira)
    • 13 Dindi – Faixa Extra (Tom Jobim / Aloysio de Oliveira)
    Saber tudo sobre
    Maria Bethânia Intérprete
    Maria Bethânia nasceu em Santo Amaro, na Bahia, no dia 18 de junho de 1946. A jovem desde pequena gostava de cantar, e fazia imitações... Ler mais
    Tudo sobre o artista
    Características
    Intérprete
    Maria Bethânia
    Editor
    Biscoito Fino
    Ano de Edição
    Julho 2014
    Número de Discos
    1
    Todas as características

    Avaliação da FNAC

    O CD traz um lado intimista e regional da cantora e registra, além de várias canções inéditas, pela 1ª vez a belíssima "Dindi" (Tom Jobim e Aloysio de Oliveira). Neste trabalho, Bethânia também canta outros compositores recorrentes em seu repertório, como Roque Ferreira (autor de "Casa de Caboclo", "Candeeiro Velho", "Imbelezô Eu / Vento de Lá" e "Folia de Reis") e Chico César ("Xavante" e "Arco da Velha Índia"), e a bela edição de "Uma Iara" (Adriana Calcanhotto) com o texto "Uma Perigosa Yara" de Clarice Lispector, entre outras canções. O projeto gráfico é assinado por Gringo Cardia e contém material pessoal da artista.

    "A nova tecnologia no formato dos discos que se deu em 1948 com o aparecimento do disco Long Playing, levou as gravadoras a conceber álbuns de músicas, discos de dez polegadas em capa de cartolina, inicialmente com oito canções embaralhadas ao sabor dos sucessos do artista. O passo seguinte, o aparecimento dos primeiros LPs de doze polegadas, possibilitou a expansão para doze faixas, quer dizer doze músicas soltas. Até que em 1955 a gravadora Capitol lançou o primeiro LP com nova estratégia, a de um álbum conceitual, “In the wee small hours”, com Frank Sinatra cantando doze torch songs, baladas ardentes sobre o mesmo tema, a desilusão de amores perdidos.

    No Brasil o primeiro álbum conceitual surgiu antes, em 1954 no LP de dez polegadas da Odeon “Canções praieiras”, com Dorival Caymmi e seu violão interpretando oito de suas canções sob a mesma temática, ligadas ao mar, aos pescadores. A unidade dessa obra, arriscada no mercado da época, se estendia para a capa do disco, a reprodução de uma pintura do próprio autor, com duas figuras de pescadores e peixes num fundo de cores vivas.

    Cantores que decidem trilhar esse caminho nos dias de hoje, isto é, gravar um CD conceitual, também se arriscam diante das contingências do período considerado de transição na evolução tecnológica da música gravada. Ouso até afirmar que bem poucos cantores brasileiros podem se aventurar nessa ideia. Maria Bethânia pode. Não teme, aventura-se e consegue marcante triunfo. “Meus quintais” traduz seu conceito sobre os donos da terra, os índios, os Povos do Brasil.

    Bethânia revivesceu momentos da menina que subia numa árvore do quintal na casa de seus pais, naquele sossego de Santo Amaro, para apenas ouvir. Ouvir o que ouvisse. Ternos de reis, sambas de roda, canto livre, a voz do vento, a voz que se guarda para sempre na fundura da intimidade.

    Ouvia folias e daí vem a Folia de reis dedicada ao mais velho dos irmãos homens, Rodrigo, através da canção de Roque Ferreira. Roque, cuja obra emerge do Recôncavo baiano, é autor de outras três canções e deixou-a catita pois Imbelezô Eu sua figura verdadeira, sem retoxes, absoluta.

    Ela é o arco da velha índia, é corda vocal insubmissa, versos com que Chico Cesar descreve Bethânia harmonizando com a temática dos índios, com o toque do Xavante cantante. Ela é de novo Mãe Maria, pois já havia cantado depois de sua diva Dalva, ela é Maria dos sonhos e lendas, lendas da perigosa Iara da Amazônia que chega do sul por Adriana para combinar com versos de Clarice vindos das fábulas brasileiras no último telefonema de Bethânia com seu guia, o para sempre Fauzi. Lendas do bicho pintado, a onça dos índios, que o atento cientista musical Vanzolini recolheu do sertão. Lendas que sob a boniteza da lua de Zé do Norte, também clareada por Raul, espreita um bem velho Candeeiro velho nalguma Casa de caboclo.

    “Meus quintais” começa requintado com o piano de Mehmari e Bethânia descerrando a cortina para se integrar no tema que intuiu, evidencia a cada momento sua intimidade com as canções brasileiras. Em cada uma, Bethânia é a soberba voz da franqueza e cordialidade, é o som de matas e águas, é a mais consistente porta-bandeira da canção brasileira.

    “Meus quintais” termina requintado com o piano de Wagner Tiso na mais emotiva Dindi de tantas já cantadas, também ouvida no quintal de Santo Amaro.

    Com cabelos que já embranquecem Maria Bethânia prepara-se para assumir o lindo birotinho dos cabelos brancos de Dona Canô, entregando-se de corpo e alma ao que sempre soube melhor fazer. Cantar."

    Zuza Homem de Mello

    Meus Quintais - CD

    • CD 1
    • 01 Alguma Voz (Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro)
    • 02 Xavante (Chico César)
    • 03 Casa de Caboclo (Paulo Delfim e Roque Ferreira)
    • 04 Lua Bonita (Zé Martins e Zé do Norte)
    • 05 Candieiro Velho (Roque Ferreira e Paulo César Pinheiro)
    • 06 Imbelezô eu / Vento de lá (Roque Ferreira)
    • 07 Mãe Maria – Custódio Mesquita e David Nasser)
    • 08 Uma Yara / Uma perigosa Yara (Adriana Calcanhoto / Clarisse Lispector)
    • 09 Moda da Onça (Paulo Vanzolini)
    • 10 Povos do Brasil (Leandro Fregonesi)
    • 11 Arco da Velha Índia (Chico César)
    • 12 Folha de Reis (Roque Ferreira)
    • 13 Dindi – Faixa Extra (Tom Jobim / Aloysio de Oliveira)

    Opiniões dos nossos clientes Meus Quintais - CD

    Sê o primeiro a dar
    a tua opinião sobre este produto

    Dar opinião ✔ A tua opinião foi gravada

    Saber tudo sobre

    Maria Bethânia

    Maria Bethânia

    Intérprete
    Maria Bethânia nasceu em Santo Amaro, na Bahia, no dia 18 de junho de 1946. A jovem desde pequena gostava de cantar, e fazia imitações dos artistas do rádio. Cauby Peixoto, Ângela Maria e Maysa eram os seus favoritos. Quando tinha 13 anos, sua família mudou-se para Salvador e a jovem passou a acompanhar o mano Caetano, que frequentava os meios artísticos daquela cidade. Em 1963 foi convidada a participar da peça "Boca de Ouro", de Nélson Rodrigues, cantando um samba de Ataulfo Alves.... Ler mais

    Outras obras de Maria Bethânia

    Características detalhadas

    Intérprete

    Maria Bethânia

    Editor

    Biscoito Fino

    Ano de Edição

    Julho 2014

    Número de Discos

    1