"O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"

Oscar Wilde (Autor) Edição em Português
    "O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"_0
    "O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Editor Relógio d'Água

      Ver todas as características

    • «Ao ler e reler Wilde, ao longo dos anos, noto um facto que os seus panegiristas não parecem ter sequer suspeitado: o facto comprovável e elementar de que Wilde quase sempre tem razão. A Alma do Homem e o Socialismo não só é eloquente: é também justo.»
      Jorge Luis Borges, sobre Oscar Wilde "O Declínio da Mentira", de 1889, era o texto preferido de Wilde e uma brilhante crítica contra a arte realista e o seu «monstruoso culto dos factos». Para o autor de O Retrato de Dorian Gray, os escritores realistas «escrevem romances...
      Ver mais

    • 12 €
      10,80 €

      Apenas 1 em stock

      Recebe numa morada a partir de 2,50 €

      Em loja

      Levantamento gratuito

      Ver disponibilidade em loja

      Ver todas as opções e detalhes de entrega
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    1 oferta especial "O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"

    • Vantagem Aderente: 10% Desconto imediato
    10% desconto imediato em livros
    O Cartão Fnac dá-te 10% desconto imediato sobre o preço de editor, não acumulável com outras promoções.

    Descrição "O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"

    «Ao ler e reler Wilde, ao longo dos anos, noto um facto que os seus panegiristas não parecem ter sequer suspeitado: o facto comprovável e elementar de que Wilde quase sempre tem razão. A Alma do Homem e o Socialismo não só é eloquente: é também justo.»
    Jorge Luis Borges, sobre Oscar Wilde

    "O Declínio da Mentira", de 1889, era o texto preferido de Wilde e uma brilhante crítica contra a arte realista e o seu «monstruoso culto dos factos». Para o autor de O Retrato de Dorian Gray, os escritores realistas «escrevem romances que se parecem tanto com a vida que a ninguém é possível acreditar na sua probabilidade». Na sua opinião, «a arte nunca exprime outra coisa que não seja ela própria» e daí a sua conclusão de que é necessário «ressuscitar a perdida Arte da Mentir».

    Em "A Alma do Homem e o Socialismo", texto publicado em 1891, Oscar Wilde apresenta as suas particulares concepções de uma sociedade em que a pobreza resulta do funcionamento do capitalismo e não pode ser resolvida com a caridade e o altruísmo. Para Wilde, o desenvolvimento tecnológico permitirá ao homem trabalhar menos tempo e cultivar a sua personalidade. Mas o que mais lhe interessa no socialismo seria a sua capacidade de desenvolver o individualismo que se exprimiria através da alegria e da arte, numa espécie de helenismo renovado.

    «Onde o génio de Oscar Wilde se manifesta com mais poder é em A Importância de Ser Earnest e em dois magníficos ensaios, "A Alma do Homem e o Socialismo e O Declínio da Mentira".»
    Harold Bloom, "Génios"

    Características detalhadas"O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"

    OUTRAS OBRAS de Oscar Wilde

    OPINIÕES DOS NOSSOS CLIENTES "O Declínio da Mentira" e "A Alma do Homem e o Socialismo"

    Condições de Utilização
    5/5
    • 1
      0
    • 2
      0
    • 3
      0
    • 4
      0
    • 5
      1
    Opiniões Verificadas
    5 Obra fantástica Publicado em 03 out 2018

    Obra fantástica (leitura fudamental) de um dos grandes autores da estética, arte, política e sociedade do séc. XIX.


     Este comentário foi útil?

    Ver também