O Porco de Erimanto e Outras Fábulas

A.M. Pires Cabral (Autor) A. M. Pires Cabral (Autor) Lançado em maio de 2010 Edição em Português
    • O Porco de Erimanto e Outras Fábulas_0
    O Porco de Erimanto e Outras Fábulas
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento maio 2010
      Editor Cotovia
      Coleção Ficção de Língua Portuguesa

      Ver todas as características

    • Memória justificativa

      Os degraus da morte
      O porco de Erimanto ou Os perigos da especialização
      O homem que vendeu a cabeça
      Homens e sombras
      Catarse
      As visitas do senhor director
      Desidério
      Nunca fiando
      Senhor da sua morte
      O tio Florindo ou Os malefícios da poesia
      «Um coração doente é o melhor tesouro que um homem pode ambicionar. Bem sei que eles acham que não. Ainda ontem esteve um deles a falar na televisão: que estamos em Maio, que Maio é o mês do coração, que é preciso olharmos pelo coração, vigiar o...
      Ver mais

    • Todas as ofertas
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Descrição O Porco de Erimanto e Outras Fábulas

    Memória justificativa

    Os degraus da morte
    O porco de Erimanto ou Os perigos da especialização
    O homem que vendeu a cabeça
    Homens e sombras
    Catarse
    As visitas do senhor director
    Desidério
    Nunca fiando
    Senhor da sua morte
    O tio Florindo ou Os malefícios da poesia


    «Um coração doente é o melhor tesouro que um homem pode ambicionar. Bem sei que eles acham que não. Ainda ontem esteve um deles a falar na televisão: que estamos em Maio, que Maio é o mês do coração, que é preciso olharmos pelo coração, vigiar o peso, fazer exercício, não fumar… Tretas! O que querem dessa forma é despojar-nos de uma das nossas maiores riquezas, que é a morte rápida, oportuna e inopinada, provocada por um enfarte, para nos entregar de mão beijada à morte lenta, preenchida de dores, provocada por algum cancro ou coisa assim. Ou, se calhar ainda pior, à vida puramente vegetativa do mal de Alzheimer. Achas que ganhamos com a troca? Hã? Quem aceitará morrer às dentadas de um cão rafeiro, podendo morrer arrebatado por uma águia-real?»

    A.M. Pires Cabral, "Senhor da sua morte", in O porco de Erimanto e outras fábulas

    Características detalhadasO Porco de Erimanto e Outras Fábulas

    OUTRAS OBRAS de A.M. Pires Cabral

    OPINIÕES DOS NOSSOS CLIENTES O Porco de Erimanto e Outras Fábulas

    Condições de Utilização

    Ver também