O Tempo dos Espelhos

Júlio Machado Vaz (Autor) Edição em Português
    O Tempo dos Espelhos_0
    O Tempo dos Espelhos
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Editor Texto Editores
      Coleção Nova Literatura

      Ver todas as características

    • Pareço comovido... Nunca pensaram que utilizasse o verbo alucinar fora de um consultório... Os moinhos só se curvam nas palavras dos poetas... E será crime, por um momento, coxear humildemente no rasto do génio? A sua - dele, não dos poetas... - crónica e lamentável confusão mental obrigam a uma contenção exagerada, que a lucidez e a recusa da lamechice não exigem. A clareza da análise implica uma sensibilidade que, sem falsas modéstias, julgo possuir. Só a notaram quando deixei parênteses e itálico e lhe dei colo e à... Ver mais

    • Stock esgotado

      Indisponível em loja

      Levantamento gratuito

      Ver todas as opções e detalhes de entrega
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Descrição O Tempo dos Espelhos

    Pareço comovido... Nunca pensaram que utilizasse o verbo alucinar fora de um consultório... Os moinhos só se curvam nas palavras dos poetas... E será crime, por um momento, coxear humildemente no rasto do génio? A sua - dele, não dos poetas... - crónica e lamentável confusão mental obrigam a uma contenção exagerada, que a lucidez e a recusa da lamechice não exigem. A clareza da análise implica uma sensibilidade que, sem falsas modéstias, julgo possuir. Só a notaram quando deixei parênteses e itálico e lhe dei colo e à família??? Também vos ludibriou, o meliante. Com falinhas mansas fez de mim o chato que pôs o dedo, palavras e bisturi em cicatrizes dolorosas. Era necessário, repito-o. Por todas as razões acima invocadas e mais uma - o tempo afunila. Vejo túnel ao fundo da luz, seria vantajoso que fizéssemos o resto do caminho em sã camaradagem. Não excluo sequer uma boa amizade, Bogart estamos condenados a morrer e viver a duo.
    Como agora, enquanto anoitece em Cantelães.

    Júlio Guilherme Ferreira Machado Vaz nasceu no Porto a 16 de Outubro de 1949. Psiquiatra, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica, regente da disciplina de Antropologia Médica no Instituto de Ciências Biométricas Abel Salazar, é autor de O Sexo dos Anjos, Domingos, Sábados e outros dias, O Fio Invisível, Muros, Conversas no Papel, Estilhaços, Olhos nos Olhos: Histórias de Sexo e Vida e Estes difíceis Amores. Durante oito anos participou no programa O Sexo dos Anjos na Rádio Nova e foi autor e apresentador de Sexualidades na RTP. Apresenta actualmente o programa Estes Difíceis Amores na RTP 2.

    Nº de páginas: 259

    Características detalhadasO Tempo dos Espelhos

    OUTRAS OBRAS de Júlio Machado Vaz