Olhos Azuis, Cabelo Negro

Marguerite Duras (Autor) Lançado em junho de 2014 Edição em Português
    Olhos Azuis, Cabelo Negro_0
    Olhos Azuis, Cabelo Negro
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento junho 2014
      Editor Relógio d'Água
      Coleção Ficções

      Ver todas as características

    • «É a história de um amor, o maior e mais terrível sobre que me foi dado escrever. Eu sei-o. Qualquer um pode ficar a sabê-lo por si.
      Trata-se de um amor que não é nomeado nos romances e que também não é nomeado por aqueles que o vivem. De um sentimento que de certo modo não tem ainda o seu vocabulário, os seus hábitos e rituais. Trata-se de um amor perdido. Perdido como perdição.
      Leiam o livro, leiam-no mesmo que de início o detestem. Já nada temos a perder, nem eu dos leitores, nem os leitores de mim. Leiam tudo. Leiam...
      Ver mais

    • 12 € 9,60 €

      Encomenda ao editor, expedido em 2 a 4 dias

      Em loja

      Levantamento gratuito

      Ver todas as opções e detalhes de entrega
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    1 oferta especial Olhos Azuis, Cabelo Negro

    • PROMOÇÃO WEEKEND SPECIALS
    PROMOÇÃO WEEKEND SPECIALS: Até 50% desconto imediato em Tecnologia, Livros e Entretenimento.
    Promoção exclusiva online, válida de 2 a 5 de abril de 2020.
    Aplicável nos artigos assinalados e vendidos pela Fnac.pt (exclui Marketplace e eBooks).
    Limitado ao stock existente, não acumulável com outras promoções nem com os descontos Cartão Fnac.
    Artigos de Tecnologia limitados a 2 unidades por NIF.

    Descrição Olhos Azuis, Cabelo Negro

    «É a história de um amor, o maior e mais terrível sobre que me foi dado escrever. Eu sei-o. Qualquer um pode ficar a sabê-lo por si.
    Trata-se de um amor que não é nomeado nos romances e que também não é nomeado por aqueles que o vivem. De um sentimento que de certo modo não tem ainda o seu vocabulário, os seus hábitos e rituais. Trata-se de um amor perdido. Perdido como perdição.
    Leiam o livro, leiam-no mesmo que de início o detestem. Já nada temos a perder, nem eu dos leitores, nem os leitores de mim. Leiam tudo. Leiam todas as distâncias que vos são indicadas, as dos corredores que rodeiam a história e a acalmam e nos concedem o tempo de os percorrer. Continuem a ler e de súbito terão atravessado a história, os seus risos, a sua agonia, os seus desertos.
    Sinceramente vossa.
    Duras»

    Características detalhadasOlhos Azuis, Cabelo Negro

    OUTRAS OBRAS de Marguerite Duras

    Ver também