Os Escravos e o Filósofo

Raul Malaquias Marques (Autor) Lançado em dezembro de 2014 Edição em Português
    Os Escravos e o Filósofo_0
    Os Escravos e o Filósofo
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento dezembro 2014
      Editor Chiado Books
      Coleção Viagens na Ficção

      Ver todas as características

    • Grande, grande era a cidade de Ispaklyton, imensa a abóbada que dia e noite a cobria, infinita a clemência dos deuses que noite e dia velavam. Em Ispaklyton, por aquele tempo, era senhor absoluto Kleitos, um aclamado chefe militar, um general de muitas vitórias - um colosso, no dizer delirante do poeta Possíprako. No que lhe cabia de corpo, porém, baixote e ressequido de carnes. Fraca figura.
      Ora, naquele dia, pela primeira vez em muitos dias, Kleitos entrou na Sala do Trono, a maior do seu palácio, num passo...
      Ver mais

    • Vendido pela Fnac  10,80 €
    • 1 novo desde 12 €  
    • Todas as ofertas
      • 12 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        CHIADO BOOKS
        (238)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Descrição Os Escravos e o Filósofo

    Grande, grande era a cidade de Ispaklyton, imensa a abóbada que dia e noite a cobria, infinita a clemência dos deuses que noite e dia velavam. Em Ispaklyton, por aquele tempo, era senhor absoluto Kleitos, um aclamado chefe militar, um general de muitas vitórias - um colosso, no dizer delirante do poeta Possíprako. No que lhe cabia de corpo, porém, baixote e ressequido de carnes. Fraca figura.
    Ora, naquele dia, pela primeira vez em muitos dias, Kleitos entrou na Sala do Trono, a maior do seu palácio, num passo desacostumadamente sossegado. Ao contrário do que nele era habitual, não se sentou, não se reclinou, não se apoiou sequer em qualquer dos móveis. Nenhuma sombra lhe toldava o olhar, nenhum esgar lhe arrepanhava os cantos da boca…Tanta serenidade haveria de ter, por força, uma explicação. E tinha.» 

    Características detalhadasOs Escravos e o Filósofo

    OUTRAS OBRAS de Raul Malaquias Marques

    Ver também