Os Páras em África 1961-1974

John Cann (Autor) CANN, JOHN P. (Autor) Lançamento a 26 maio 2017 Edição em Português
    Os Páras em África 1961-1974_0
    Os Páras em África 1961-1974
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento 26/05/2017
      Editor Tribuna da História

      Ver todas as características

    • Os paraquedistas, nascidos sob a visão clara e o entendimento de Kaúlza de Arriaga de que havia um lugar importante para tais tropas em contrainsurreição, conquistaram um lugar de muito valor na Força Aérea Portuguesa. Kaúlza de Arriaga tinha observado a criação de forças aerotransportadas pelos franceses e pelos americanos para operações de contrainsurreição, e antevia a mesma necessidade na África Portuguesa. Foi ele que lhes proporcionou o melhor equipamento e treino existente em qualquer força portuguesa da época, e que... Ver mais

    • Vendido pela Fnac  15,96 €
    • 1 novo desde 18,59 €  
    • Todas as ofertas
      • 18,59 € Custos de envio +4,44 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Imosver
        (7611)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Mais Informações Os Páras em África 1961-1974

    Os paraquedistas, nascidos sob a visão clara e o entendimento de Kaúlza de Arriaga de que havia um lugar importante para tais tropas em contrainsurreição, conquistaram um lugar de muito valor na Força Aérea Portuguesa. Kaúlza de Arriaga tinha observado a criação de forças aerotransportadas pelos franceses e pelos americanos para operações de contrainsurreição, e antevia a mesma necessidade na África Portuguesa.

    Foi ele que lhes proporcionou o melhor equipamento e treino existente em qualquer força portuguesa da época, e que teve a visão de combiná-los com o helicóptero para que se pudessem deslocar em efetivos adequados e surpreender e dominar o inimigo no campo de batalha africano. 

    O heroísmo patriótico destas tropas de elite, que sempre pagaram com alto preço a sua abnegação, foi notável para uma força de quatro batalhões com um efetivo de cerca de 1900 páras operando nos três teatros da África portuguesa. Foram 160 os homens que deixaram a sua vida em África, de um total de 8000 a 10 000 militares que por lá passaram e combateram durante os treze anos da guerra de contrainsurreição independentista portuguesa.

    Características detalhadasOs Páras em África 1961-1974

    OUTRAS OBRAS de John Cann

    OPINIÕES DOS NOSSOS CLIENTES Os Páras em África 1961-1974

    Condições de Utilização
    5/5
    • 1
      0
    • 2
      0
    • 3
      0
    • 4
      0
    • 5
      1
    Opiniões Verificadas
    5 Muito bom! Publicado em 13 mai 2019

    De fácil leitura, excelente para quem quer ter uma visão das forças armadas portuguesas durante a guerra colonial


     Este comentário foi útil?

    Ver também