Os Sulcos da Sede

Eugénio de Andrade (Autor) Lançamento a 19 junho 2019 Edição em Português
    • Os Sulcos da Sede_0
    Os Sulcos da Sede

    Venda o seu Os Sulcos da Sede com apenas alguns cliques,
    em fnac.pt

    1. Vende o teu produto
    2. Um cliente compra o teu produto
    3. Envia o teu produto
    4. Recebe o pagamento
    Passar para conta Pro!
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento 19/06/2019
      Editor Assírio & Alvim

      Ver todas as características

    • «Variação sobre um velho tema, o tema do homem velho, Os Sulcos da Sede (2001) é um dos livros dos últimos dias de Eugénio de Andrade, que aconteceu ser o último livro que publicou. [...] Mais do que luzes e sombras, a questão, neste último livro, põe-se em termos de sede e de água. Os poemas estão junto da fonte, da fonte da poesia, têm sede, anseiam (“água, água”), morrem perto da fonte à míngua de água, dão de beber à sede, dão a beber a própria sede, as formulações multiplicam-se. Trata-se de uma promessa do... Ver mais

    • Todas as ofertas
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Mais Informações Os Sulcos da Sede

    «Variação sobre um velho tema, o tema do homem velho, Os Sulcos da Sede (2001) é um dos livros dos últimos dias de Eugénio de Andrade, que aconteceu ser o último livro que publicou. [...]

    Mais do que luzes e sombras, a questão, neste último livro, põe-se em termos de sede e de água.

    Os poemas estão junto da fonte, da fonte da poesia, têm sede, anseiam (“água, água”), morrem perto da fonte à míngua de água, dão de beber à sede, dão a beber a própria sede, as formulações multiplicam-se. Trata-se de uma promessa do inalcançável ou de um suplício de Tântalo? Parecendo sensações contraditórias, são, na verdade, instâncias diferentes: o “eu”, envelhecido, pode muito menos do que dantes, mas os poemas não envelhecem, não perdem faculdades.

    Eugénio recupera aquela sensação que todos temos, a partir de uma certa idade, a sensação de que somos mais novos do que aquilo que somos.»
    [do prefácio de Pedro Mexia]

    Características detalhadasOs Sulcos da Sede

    • Autor Eugénio de Andrade
    • Editor Assírio & Alvim
    • Data de lançamento 19/06/2019
    • EAN 978-9723720952
    • ISBN 9789723720952
    • Dimensões 14,5 x 20,5 cm
    • Nº Páginas 64
    • Encadernação Capa mole

    OUTRAS OBRAS de Eugénio de Andrade

    Ver também