Paz na Guerra

Teresa Marques (Autor) Lançamento a 24 julho 2019 Edição em Português
    Paz na Guerra_0
    Paz na Guerra
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento 24/07/2019
      Editor Chiado Books
      Coleção Palavras Soltas

      Ver todas as características

    • 1º Aerograma do Barros Meu querido amor, É-me cada vez mais difícil tolerar tudo isto: a fome, a falta de água para beber, os colegas, sobretudo os autoritários e aqueles que exultam com a guerra, alimentando-se dos confrontos com o inimigo, seja ele qual for: os pretos ou qualquer camarada que pense de forma diferente da sua ou que lhes pareça fraco ou passível de ser atacado. Mas, o que me custa mais a aguentar é, sobretudo, o medo. Medo de ser o próximo a perecer num ataque, de ficar deficiente, sem uma perna ou um braço... Ver mais

    • Vendido pela Fnac  10,40 €
    • 1 novo desde 13 €  
    • Todas as ofertas
      • 13 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        CHIADO BOOKS
        (568)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • Levantamento
      gratuito em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Devoluções
      gratuitas em loja

    Mais Informações Paz na Guerra

    1º Aerograma do Barros Meu querido amor, É-me cada vez mais difícil tolerar tudo isto: a fome, a falta de água para beber, os colegas, sobretudo os autoritários e aqueles que exultam com a guerra, alimentando-se dos confrontos com o inimigo, seja ele qual for: os pretos ou qualquer camarada que pense de forma diferente da sua ou que lhes pareça fraco ou passível de ser atacado. Mas, o que me custa mais a aguentar é, sobretudo, o medo.

    Medo de ser o próximo a perecer num ataque, de ficar deficiente, sem uma perna ou um braço, medo de não conseguir escapar desta guerra, desta sina que todos os varões portugueses são obrigados a cumprir durante dois anos, defendendo com orgulho e até à morte as terras que ocupámos barbaramente há séculos e que pertencem, dizem eles, por direito aos portugueses, tendo estes, nós, a missão, quase divina, de livrar os nativos das suas tradições e das suas crenças, tornando-os submissos e obedientes, sem ideias próprias, quase robôs.

    Características detalhadasPaz na Guerra

    OUTRAS OBRAS de Teresa Marques

    Ver também