Home Plato Biografia

  Plato

“O livro é um mestre que fala mas que não responde.”

Platão (427 a.C. - 347 a.C.) foi um dos mais brilhantes filósofos da antiguidade. A nossa atual concepção de filosofia – de pensamento rigoroso sobre a verdadeira condição do Homem, da natureza...
Ler Biografia
Plato
“O livro é um mestre que fala mas que não responde.”

Platão (427 a.C. - 347 a.C.) foi um dos mais brilhantes filósofos da antiguidade. A nossa atual concepção de filosofia – de pensamento rigoroso sobre a verdadeira condição do Homem, da natureza do todo e da perplexidade do ser – deve-se em grande parte ao seu trabalho. As suas obras debruçam-se sobre uma imensidão de temas: ética, política, matemática, metafísica, lógica, estética e epistemologia.
Há poucas fontes de informação contemporâneas a Platão que nos permitam conhecer a sua vida. De acordo com Diogenes Laertius, que viveu vários séculos depois dos filósofos sobre quem escreveu, Platão nasceu em Ariston. A família da sua mãe, Perictione, era uma das mais nobres famílias de Atenas. À semelhança de todos os aristocratas da sua época, recebeu uma educação especial, estudou leitura e escrita, música, pintura, poesia e ginástica.
Diogenes Laertius também narra que o verdadeiro nome do filósofo era Arístocles, tal como o seu avô, mas que a sua carreira de lutador (que o fez participar nos jogos olímpicos) valeu-lhe o nome de Platão, “amplo”.
Desde cedo, Platão tornou-se discípulo de Sócrates, aprendendo e discutindo com ele os problemas do conhecimento do mundo e das virtudes humanas. Quando Sócrates foi condenado à morte sob a acusação de “perverter a juventude”, Platão desiludiu-se da política e resolveu voltar-se inteiramente para a filosofia. A sua amizade com Sócrates quase lhe custou a vida. Foi obrigado a deixar a cidade, retirou-se para Megara, onde conviveu com Euclides, viajando em seguida por Cirene, Itália e Egito,
Depois do seu regresso a Atenas, com cerca de 40 anos de idade, Platão fundou a primeira escola filosófica conhecida, a Academia. Os estudos realizados por Platão deram-lhe a formação intelectual necessária para formular as suas próprias teorias, aprofundando os ensinamentos de Sócrates. A fim de eternizar os ensinamentos do seu mestre, que não redigira nenhum livro, escreveu vários diálogos onde a figura principal é Sócrates. Essa foi a maior preocupação dos seus últimos anos, quando escreveu as suas obras mais notáveis. De todos os seus discípulos o que mais se destacou foi Aristóteles. A Academia funcionou até à sua destruição em 86 a.C., quando Atenas foi tomada por Lúcio Cornélio Sula.
Diferentes fontes oferecem relatos diferentes da morte de Platão. De acordo com uma fonte, Platão terá morrido pacificamente durante o sono, enquanto ouvia os suaves sons de uma flauta tocada por uma rapariga trácia. Uma outra fonte relata que morreu enquanto participava na festa de casamento de um amigo. Outro relato diz ainda que morreu simplesmente enquanto dormia.