Quem Nunca Morreu de Amor

Eduardo Sá (Autor) Lançamento a 31 outubro 2017 Edição em Português
    • Quem Nunca Morreu de Amor_0
    Quem Nunca Morreu de Amor
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento 31/10/2017
      Editor Lua de Papel

      Ver todas as características

    • "Eduardo Sá avisa, logo no início: cuidado com o que se procura num livro de amor. Porque arriscamo-nos a encontrar, no espelho das páginas, a nossa própria história, as relações que tivemos, os homens ou as mulheres que amámos (e que ainda hoje nos visitam, quando à noite se aninham nos lençóis da memória).
      Nas histórias dos outros, que Eduardo testemunha e observa, revemo-nos sempre. Os nossos amuos, as dúvidas, os medos, a esperança. Guiados por ele, trilhamos novamente o caminho tantas vezes percorrido; mas...
      Ver mais

    • Vendido pela Fnac  11,20 €
    • 2 novos desde 15,73 €  
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    1 oferta especial Quem Nunca Morreu de Amor

    • PROMOÇÃO NATAL: LIVROS
    NATAL FNAC Até 50% desconto imediato numa seleção de mais de 500 Livros. Desconto exclusivo online.
    Promoção válida de 7 de novembro de 2019 a 6 de janeiro de 2020.
    Limitado ao stock existente e aplicável apenas nos artigos assinalados vendidos pela Fnac.pt (exclui Marketplace e eBooks).
    Não acumulável com outras campanhas ou promoções nem com os 10% desconto imediato em livros para aderentes Cartão Fnac.

    Resumo Quem Nunca Morreu de Amor

    Há amores que nos matam aos poucos quando sentimos mais saudades que esperança.Eduardo Sá avisa, logo no início: cuidado com o que se procura num livro de amor. Porque arriscamo-nos a encontrar, no espelho das páginas, a nossa própria história, as relações que tivemos, os homens ou as mulheres que amámos (e que ainda hoje nos visitam, quando à noite se aninham nos lençóis da memória). Nas histórias dos outros, que Eduardo testemunha e observa, revemo-nos sempre. Os nossos amuos, as dúvidas, os medos, a esperança. Guiados por ele, trilhamos novamente o caminho tantas vezes percorrido; mas descobrimos que afinal havia ali um cruzamento que nos tinha passado despercebido (onde poderíamos ter mudado de direção), ou uma ponte que decidimos ignorar (quando era tão fácil atravessá-la).Descobrimos também, por entre textos onde o amor é sempre posto a nu, uma outra história que emerge de mansinho, em quadros pontuais. Conhecemos João Anacleto, homem resignado à vida, e a bela e livre Esmeralda, que o destino lhe devolve passados 30 anos. Vemos como uma corrente de bicicleta, ao partir-se, os volta a unir. Ou talvez não.Porque o João e a Esmeralda somos também nós, às vezes tão dados a equívocos, tão presos a bravatas e orgulhos que nos esquecemos de ver o essencial. E o essencial, ao contrário do que pensamos, não é invisível. Vê-se no olhar de quem nos vê o coração.

    Mais Informações Quem Nunca Morreu de Amor

    "Eduardo Sá avisa, logo no início: cuidado com o que se procura num livro de amor. Porque arriscamo-nos a encontrar, no espelho das páginas, a nossa própria história, as relações que tivemos, os homens ou as mulheres que amámos (e que ainda hoje nos visitam, quando à noite se aninham nos lençóis da memória).
    Nas histórias dos outros, que Eduardo testemunha e observa, revemo-nos sempre. Os nossos amuos, as dúvidas, os medos, a esperança. Guiados por ele, trilhamos novamente o caminho tantas vezes percorrido; mas descobrimos que afinal havia ali um cruzamento que nos tinha passado despercebido (onde poderíamos ter mudado de direção), ou uma ponte que decidimos ignorar (quando era tão fácil atravessá-la).

    Descobrimos também, por entre textos onde o amor é sempre posto a nu, uma outra história que emerge de mansinho, em quadros pontuais. Conhecemos João Anacleto, homem resignado à vida, e a bela e livre Esmeralda, que o destino lhe devolve passados 30 anos. Vemos como uma corrente de bicicleta, ao partir-se, os volta a unir. Ou talvez não.
    Porque o João e a Esmeralda somos também nós, às vezes tão dados a equívocos, tão presos a bravatas e orgulhos que nos esquecemos de ver o essencial. E o essencial, ao contrário do que pensamos, não é invisível. Vê-se no olhar de quem nos vê o coração.

    Escolhas dos nossos vendedores

    Natália Lemos FNAC Vila Real

    Quem nunca morreu de amor. Eduardo Sá

    Uma abordagem profunda e fria sobre um tema delicado e idolatrado chamado "amor", o psicólogo Eduardo Sá, faz uma compilação dos casos mais peculiares dos seus pacientes sobre este tema, criando assim um livro de amor, sobre o desamor!

    Características detalhadasQuem Nunca Morreu de Amor

    • Autor Eduardo Sá
    • Editor Lua de Papel
    • Data de lançamento 31/10/2017
    • EAN 978-9892340494
    • ISBN 9789892340494
    • Dimensões 15,5 x 23,5 cm
    • Nº Páginas 208
    • Encadernação Capa mole

    CARACTERÍSTICAS DO EBOOK

    • Formato ePub
    • Editor Lua de Papel
    • Data de lançamento outubro 2017
    • EAN 9789892340449
    QUE FORMATO PARA O MEU EBOOK?

    OUTRAS OBRAS de Eduardo Sá

    Ver também