Rapazes de Zinco

Svetlana Alexievich (Autor) Lançamento a 6 março 2017 Edição em Português
    Rapazes de Zinco_0
    Rapazes de Zinco
    • Resumo
    • Detalhes do artigo
    • Garanties
    • Acessórios incluídos
    • Data de lançamento 06/03/2017
      Editor Elsinore

      Ver todas as características

    • Autora vencedora do Prémio Nobel de Literatura «Pela sua escrita polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem na nossa época.» De 1979 a 1989, o exército soviético combateu o Afeganistão, uma guerra que gerou cerca de quinze mil mortos e mais de quatrocentos e cinquenta mil feridos e doentes, atingindo profundamente toda uma geração. Alvo de contestação e polémica na União Soviética por altura da sua publicação, acusado por críticos de ser «uma fantasia carregada de mentiras» e parte de «um coro histérico de ataques... Ver mais

    • 2 novos desde 18,89 €  
    • 19,50 €

      Disponível

      Envio normal : 2,99 €

      Envio com Tracking : 4,44 €

      Envio Contra Assinatura : 4,79 €

      WolverineBooks
      (Vendedor profissional)
      2486 venda(s)
      Estado do produto
      Novo
      País de expedição
      Portugal Continental
      Prazo médio de entrega
      Entre 2 e 3 dias úteis
      Taxa de aceitação
      97,45%

      Comentários do vendedor :

      Expedição no dia útil seguinte. Prazo de entrega: até 3 dias úteis

      Todas as ofertas
      • 19,50 € Custos de envio +2,99 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        WolverineBooks
        (2486)
      • 18,89 € Custos de envio +4,44 €
        Disponível
        Novo
        Pro
        Easybook
        (663)
    • Satisfeito
      ou reembolsado
    • SPV Fnac
      7 dias por semana
    • Devoluções
      gratuitas em loja
    • Pagamentos
      Seguros
    • Levantamento
      gratuito em loja

    Mais Informações Rapazes de Zinco

    Autora vencedora do Prémio Nobel de Literatura

    «Pela sua escrita polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem na nossa época.»

    De 1979 a 1989, o exército soviético combateu o Afeganistão, uma guerra que gerou cerca de quinze mil mortos e mais de quatrocentos e cinquenta mil feridos e doentes, atingindo profundamente toda uma geração. Alvo de contestação e polémica na União Soviética por altura da sua publicação, acusado por críticos de ser «uma fantasia carregada de mentiras» e parte de «um coro histérico de ataques perversos», "Rapazes de Zinco" oferece um testemunho sentido e afetuoso dos soldados, enfermeiras, mães, filhos e filhas que viveram a guerra e os seus efeitos devastadores.

    Nestas páginas revela-se uma história de brutalidade e mentira, próxima da experiência norte-americana no Vietname, marcada simbolicamente pelos caixões de zinco usados para transportar os mortos para casa, perante uma União Soviética que negava o horror e a destruição causados pela guerra.

    Recorrendo, como é sua marca, às vozes dos entrevistados, à eloquência e silêncio de um coro polifónico, espelho da realidade, Svetlana Alexievich mostra-nos a verdade acerca da guerra soviética no Afeganistão: a beleza do país contrastando com a violência do exército, a morte, a entrada em força do Ocidente no território e as vidas destruídas dos veteranos de guerra, toldados pela vergonha. Uma visão única, lúcida e poderosa da realidade da guerra.

    Prefácio de José Milhazes.

    Escolhas dos nossos vendedores

    Miguel Vaz FNAC Vasco da Gama

    Rapazes de Zinco. de Svetlana Alexievich

    Prémio Nobel da Literatura em 2015 - esta autora ucraniana retrata de forma exemplar a realidade dos países de Leste na atualidade, lidando com os reflexos dos anos da Guerra Fria e com tudo o que isso influênciou. Neste livro, foca-se na Guerra no Afeganistão. Imperdível.

    Características detalhadasRapazes de Zinco

    • Autor Svetlana Alexievich
    • Editor Elsinore
    • Data de lançamento 06/03/2017
    • EAN 978-9898864000
    • ISBN 9789898864000
    • Dimensões 15,5 x 23,5 cm
    • Nº Páginas 352
    • Encadernação Capa mole

    OUTRAS OBRAS de Svetlana Alexievich

    Ver também